Minha loucurinha II

Procuro alguém me desbanque completamente. Alguém que me deixe de cara no chão, que me diga que estou errada, que atropele todos os meus argumentos e ria das minhas conclusões equivocadas. Quem sabe assim, depois de desmoralizada, não haja mais como decepcionar ninguém.

Estou cansada de procurar resposta pra tudo, tanta expectativa sobre meus ombros está começando a pesar demais. As cobranças de fazer sempre o que é certo, de errar com parcimônia, viver com moderação. É difícil ser humana com tanto moralismo injetado na veia!

Não quero ser canonizada, não quero ser a madre Tereza. Quero ser correta quando achar que devo, e quando achar que não, quero andar na contra-mão. Quero furar sinais vermelhos quando estiver com pressa, falar palavrão quando estiver com raiva, mentir quando tiver vontade e dizer não sem culpa. Quero um verso sem rima, uma canção sem refrão. Quero ser pra mim e não pros outros.

3 comentários:

César Fernández disse...

Seus argumentos são sempre tão difíceis de atropelar... E eu odeio discordar de você, sinto muito.

Tudo que eu leio aqui me deixa preocupado com você, e pode ser muito egocentrismo, mas sempre penso que o problema tem a ver comigo. Fala comigo sobre essas coisas. Vamos dividir o peso das expectativas que se têm sobre você. Aprende comigo a ser egoísta, falar palavrão, mentir e dizer não sem culpa (dizer não pra mim também).

Eu amo você (L)
Fica bem :*

Natália Corrêa disse...

Não tem nada a ver com você meu amor. É mais um conflito meu comigo mesma. Eu ia conversar com você ontem a noite, mas não sabia o que dizer, eu ainda não tinha encontrado as palavras que descreviam o que eu estava sentindo. E hoje descobri que as palavras que eu encontrei estavam erradas. Obrigada por estar aqui pra mim! Também amo você.

Erica Ferro disse...

"Quero ser pra mim e não pros outros."

Eu também, cara. :S
E eu preciso SER, urgentemente.

Como sempre, um texto muito bom.

Beijo.