Parlapatão

Sabe aquelas pessoas irritantes que não param de falar? Prazer, essa sou eu. E, na verdade, isso não é segredo pra ninguém. Qualquer um que tenha me encontrado na padaria, sabe que eu sou uma matraca. Quanto mais eu falo, mais eu quero falar. Às vezes eu percebo que falei demais e peço desculpas por falar demais, mas sempre acabo falando demais na hora de pedir desculpas também. Felizmente, as pessoas já estão acostumadas com isso, e sabem que eu não me ofendo se me mandarem calar a boca ou algo do gênero.

Acontece que, recentemente, isso vem me prejudicando um pouco. É que quando eu fico nervosa meu falatório se intensifica - e atualmente eu estou sempre nervosa. Eu começo a pensar pela boca, e dessa forma eu me exponho demais.

Tendo isso em mente, eu iniciei uma revolução interna, e passei a exercitar o silêncio. Até ontem, era muito difícil. Era como se me faltasse uma válvula que se fechasse na hora de vomitar as palavras. Como se me faltasse auto-controle. Aliás, "como se" não; realmente me faltava auto-controle. Semana passada eu cheguei ao extremo de falar com o espelho durante quase meia hora, simplesmente porque o silêncio me angustia. Não é a toa que eu estou sempre ouvindo música, ou cantando, ou ligando pra alguém...

Mas como eu disse, tudo isso foi até ontem. Ontem, antes de dormir, eu li duas páginas (estava com muito sono para passar disso) de Orgulho e Preconceito, e me deparei com uma palavra deliciosa: parlapatão! E quando falo da palavra, não me refiro a sua semântica, mas ao som que - parece que - escorre dos lábios quando a gente pronuncia. Experimente repetir silenciosamente essa palavra... Você não sente uma coisa agradável? Ok, pode ser que eu esteja ficando louca, mas, desde ontem, parlapatão tem sido um mantra pra mim. Quando eu penso em perder o controle, eu penso em "parlapatão", e minha mente fica vazia, e de repente eu sinto que posso preenchê-la como e com o que eu quiser.

Não sei bem porque estou escrevendo isso. Talvez por achar que as coisas abstratas demais se tornam um pouco mais concretas quando se escreve sobre elas. Faz parecer que é real. E eu realmente quero que seja real, mesmo que eu tenha inventado isso pra mim mesma. Parlapatão é a válvula que me faltava, a minha palavra mágica. Portanto, fique atento, pois a sua pode aparecer a qualquer momento, e - acredite - vai ser como uma epifania surreal.

12 comentários:

Madame Morte disse...

Quando percebemos que o silêncio fala bem mais e melhor, um novo mundo se mostra.De fato, se tiveres uma voz bonita, não há motivo para parar de falar, adoraria ouvir.Veja quanto tempo consegue continuar com a tal revolução interna.Minhas revoluções internas não duram mais que uns dias, eu nunca consigo parar de beber ou de fumar por exemplo,rs.

*Repetindo parlapatão quase que sussurrando sem parar, esperando pela minha epifania por aqui*

Lucas; disse...

parlapatão.
é incrível!
simplesmente incrível.

:)

preciso achar nem que seja um abracadabra pra me acalmar.

Lucas; disse...

aah, o show foi fantástico.
consegui 10 autógrafos nos encartes que levei, tirei foto, tietei geral.

:)

Erica Ferro disse...

Parlapatão...
Palavra boa de dizer, haha.

Eu sou uma matraca louca, também.
Caraca, quando eu começo a falar, não paro. E não gosto que me parem.

Beijo, Natália ♥.

Jéssica Trabuco disse...

Parlapatão... *---*
Gostei tambémm.. não sei mas lembrei do sítio do picapau amarelo com esse nome.

*--*

César Fernández disse...

Pitomba, é mesmo uma epifania surreal!

Pâmela Marques disse...

Ri, menina. E me vi em ti também.
Eu sou uma matraca também, converso pelos cotovelos e também não me importo que me mandem calar a boca. Minha mãe sofre, deveras, desde minha infância. Antes eu vivia perguntando o significado das palavras pra ela e devo te contar minha mãe é quase uma 'aurélia', haha!

Juliana Marques. disse...

minha palavra é idiossincrasia. depois dela, nunca mais fui a mesma :)

Matheus Sobral. disse...

Não funcionou comigo :/
mas me divertiu heeheuehueheuehue

Rodriguez disse...

Antes de Parlapatão queria te ouvir falar demasiadamente...

Jaime Guimarães disse...

Parlapatão é uma palavra nova que eu já conhecia. Nova porque estou encarando-a em outra vertente, da qual eu nem poderia imaginar. p-a-r-l-a-p-a-t-ã-o. Interessante.

Eu não tenho uma palavra. Tenho várias. Converso comigo em silêncio, até não há mais com quem conversar. Talvez seja melhor assim, talvez não. O tempo dirá ( mas como demora esse tempo!)

abs

Corrida Armamentista disse...

Adorando seus textos!