A arte de "inacabar" as coisas

Eu tinha resolvido fazer uma faxina no meu quarto. Esvaziei todas as prateleiras e gavetas, joguei tudo no chão e fui limpando coisa por coisa antes de devolver pro lugar. Burrice minha. É claro que eu não conseguiria arrumar tudo aquilo de uma só vez! Acabei me distraindo com as relíquias que encontrei e perdi o entusiasmo pela arrumação. Ou seja, ficou tudo jogado, até que a diarista veio e guardou tudo nos lugares errados para que eu pudesse deitar na minha cama e caminhar pelo quarto sem ter que desviar das coisas. Depois, quando procuro minhas coisas e não encontro, eu não posso nem reclamar, já que ninguém tem culpa por eu ser desorganizada demais.

Mas minha desorganização não me preocupa tanto quanto minha mania de deixar as coisas inacabadas, como eu fiz com a faxina. Meu computador está cheio de textos sem desfecho, minha estante tem uma porção de livros lidos pela metade, e existem dezenas de filmes que eu comecei a assistir e não terminei. Às vezes passo dias trabalhando em uma idéia e desisto antes de colocá-la em prática. Não é como se eu não fosse fiel aos meus ideais - eu tenho minhas convicções e chego a irritar por ser tão inflexível. Eu me refiro às coisinhas pequenas, como enviar uma carta, aprender um instrumento, experimentar uma receita... É como se nada fosse interessante o bastante para manter a minha atenção focada. Eu sempre fui meio hiperativa, então quando as coisas começam a me entediar, eu desisto delas, ou então as troco por outras coisas que me pareçam mais atraentes. E isso me incomoda, porque eu sei que a vida exige perseverança. Eu não posso desistir dos meus objetivos antes de alcançá-los, por menor que eles sejam, porque se isso vira um hábito, eu me torno uma pessoa sem propósito nenhum.

Felizmente, se minhas vontades são promíscuas e efêmeras, meus sentimentos são por demais persistentes. Eu não desisto de um amor só porque ele é complicado, nem troco de amigos porque eles não são divertidos. Outra coisa: eu não deixo as coisas pela metade quando as faço para os outros, porque eu sei que é importante pra eles. Talvez seja isso que está faltando em mim: certeza das coisas que são importantes pra mim. Eu paro e penso “não vou morrer se não fizer isso”, quando eu deveria pensar “vou fazer isso porque quero”. Eu preciso parar de ter vontades e começar a senti-las, porque aquilo que se tem pode se perder, mas sentimento é que nem energia: não se cria, nem se perde, se transforma.

15 comentários:

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Isso pode mudar. Às vezes realmente é difícil terminar aquilo que começamos, mas é importante.

E vc terminou esse texto, o que já é um bom sinal!

César Fernández disse...

Acho que isso é uma tendência do nosso tempo, amor.
Conheço muita gente com o mesmo problema, inclusive eu.

Marcel Hartmann disse...

"mas sentimento é que nem energia: não se cria, nem se perde, se transforma."

sensacional.

Uriálisson disse...

é necessário continuar em umas coisas,até mesmo pra saber que elas não servirão mais pragente.Deixar pela metade,pode deixar uma outra metade muito boa que jamais conheceremos.
mas sofro um pouco desse mal também..

Juliana Marques. disse...

'Eu sempre fui meio hiperativa, então quando as coisas começam a me entediar, eu desisto delas, ou então as troco por outras coisas que me pareçam mais atraentes.'

se eu fosse me descrever, não conseguiria de uma forma melhor.

Erica Ferro disse...

Se transforma... em ação.

:*

Mariah disse...

eu defendo que há livros que não merecem ser lidos até o final, e quanto a filmes, tenho a mesma opinião.
existem amizades que não merecem ser cultivadas e amores que nem deveriam ter começado.
acho que a vida é cheia de possibilidades...e se a coisa não vinga...fazer o quê? partir para outra é a única solução possível.

se me permite um conselho...tire da cabeça essa culpa por não terminar isso ou aquilo...coloque a culpa na "coisa" que não era boa suficiente para te merecer.

tenho feito isso...e tem dado certo
boa sorte.

Luana Gabriela disse...

Nossa, sou assim especialmente ao que se refere a arrumação do quarto.. aprendi que é melhor começar pelas gavetas, sei lá porque dá mais certo comigo. Gostei muito do seu blog. Obrigada pelos comentários lá no meu.

Bjos

César Fernández disse...

que layout bonitinho (:

Lucas; disse...

-férias são ideais para inacabar coisas. ou pior, nem começá-las.
:)

Elizabeth disse...

ainda bem que tu não desistisse da minha amizade no meio do caminho :)

Rafael disse...

Eu também tenho mania de deixar as coisas pela metade...
Fazer o que...
bjs

L orena Rocco disse...

eu sou perfeccionista ao extremo.
mas em materia de persistencia sou um fracasso. são raros os meus projeto (até bons) que foram concluidos. =T

adoorei! beijO*
PS: pq vc num coloca uma caixinha de seguidores? é melhor para agente voltar...

Jaime Guimarães disse...

"Meu computador está cheio de textos sem desfecho". Sou eu. Mas sei que um dia eles terão um desfecho, nem que seja na lixeira. Mas não é assim que funciona. Já peguei alguns textos e terminei. Se ficaram bons é outra história. Eu sou do tipo que tarda, falha, mas comparece. ( como você pode notar quando dou meus sumiços desse seu excelente blog)

É uma coisa que eu tenho que mudar também: procrastinar(!!), deixar pra depois. Mas depois eu vejo isso. bj!

Valdeci Silva disse...

eu também sou assim me apaixono fá cio pelas as coisas e logo sinto tédio,começo a ler livros e nunca termino,vou lendo vários ao mesmo tempo...