El Quixote

Um dias desses eu conheci uma pessoa especial. Uma dessas pessoas que a gente fala uma vez e já se sente íntima, como se fosse amigo de longa data. Uma dessas pessoas cheias de vida, com o sorriso maior que ela própria, que parece que ta fagocitando a gente, incluindo a gente naquela felicidade sem precedentes. Uma dessas pessoas que falam, falam, falam, e a gente não se cansa de ouvir, porque é uma conversa gostosa, um papo leve, sem todas essas reclamações e lamentações que se ouve hoje em dia em qualquer esquina.

Foi um encontro interessante, e eu me emocionei como há muito não me emocionava. Eu tive vontade de chorar de felicidade, e a felicidade nem era minha! Foi um encontro com um senhor de oitenta anos que emanava uma juventude que eu, com apenas dezoito anos, não poderia emanar; e que trazia nos olhos (já azuis por causa da catarata) um brilho ofuscante, capaz de iluminar até mesmo meu sorriso já sem cor.

3 comentários:

Denise disse...

encontro indizível, né moça, como a alegria!!

bjs azuis...de céu bonito!!!

Erica Ferro disse...

Que lindo, cara!
Muito lindo e acalentador esses encontros.
Um beijo.

Jaime Guimarães disse...

Conhecer pessoas assim são dádivas...porque tais pessoas são cada vez mais raras.